#Notícias Unitoledo
 
 

Alunos de Direito conseguem escritório próprio e aprovação na OAB antes de concluir o curso

Rafaela Tavares

Os nomes Parrilha & Trentin podem ser lidos em dourado contra o fundo preto da fachada. Desde agosto, Stéphanie de Paiva Parilha e Felipe Toqueton Trentin aguardavam para ver as obras terminadas no espaço localizado no térreo de um edifício da região central de Araçatuba, onde irão atuar como profissionais no próximo ano. A conclusão veio em dezembro.

Embora estejam ainda no 10º semestre do curso de Direito no UniToledo, Stéphanie e Felipe já possuem um escritório de advocacia próprio. Eles consideram essa conquista a realização de um sonho antigo. Os dois se conheceram há 13 anos, quando ainda cursavam o ensino fundamental. Desde que iniciaram o curso superior descobriram que tinham em comum o desejo de advogar. A sociedade foi formada depois de os dois perceberem que possuíam também os mesmos ideais. Outro aspecto que influenciou a abertura do escritório em conjunto foi a experiência dos dois como estagiários durante todo o curso, que reafirmou a escolha de ambos pela advocacia.

Stéphanie acredita que ter o escritório pronto antes de concluir o curso seja um misto de felicidade e responsabilidade. “Tenho certeza de que agora poderei exercer a profissão que amo, me dedicando diariamente, juntamente com meu sócio, para alcançar todos os objetivos traçados na busca de um Direito que atenda a todos os anseios da sociedade por justiça e igualdade”, afirma.

Felipe enxerga a conquista como um grande passo na busca pelas aspirações profissionais e uma inserção rápida no mercado. “Sei da dificuldade do início de toda e qualquer profissão, mas com muita dedicação e trabalho, tenho fé que conseguiremos alcançar nossos objetivos, primando sempre pela ética e retidão profissional.”

APROVAÇÃO
Ambos já foram aprovados no exame da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), porém só poderão advogar com o término do curso, seguindo as regras da ordem. Ele obteve a aprovação em junho de 2018, depois de realizar a primeira prova do ano. Já Stéphanie prestou o segundo exame do ano, com a divulgação do resultado positivo em outubro.

Felipe atribuiu as conquistas ao apoio da própria família e ao aprendizado proporcionado pela instituição por meio do corpo docente. Para ele, as aulas não não se limitam a transmitir aos alunos a teoria – elas demonstram como determinados institutos são aplicados em casos práticos, tornando melhor e mais eficiente a visualização das matérias.

“Por fim, o que mais me encorajou a criar essa sociedade foi achar uma pessoa de extrema integridade que partilhava dos mesmos sonhos que o meu, topando a empreitada de exercer a advocacia de forma humanitária, com vistas não só a questão financeira, mas, principalmente, no tratamento diferenciado com os clientes e vossas pretensões”, afirma o futuro advogado.

Stéphanie também acredita que o apoio dos pais colaborou para as realizações profissionais e acadêmicas. A aluna conta também que o curso forneceu uma base sólida para que ela se sentisse segura o suficiente para abrir o próprio escritório antes da conclusão do curso. Além do contato com professores que transmitem conhecimentos e experiências com comprometimento, a grade curricular do curso permite que o aluno tenha contato com todos os ramos do Direito, possibilitando um amplo conhecimento sobre vários temas ainda na faculdade, conforme a estudante.

“Outro aspecto fundamental foi encontrar alguém disposto a encarar o desafio de ser dono de um escritório comigo. Felizmente encontrei uma pessoa séria e honesta para formar a sociedade e seguir comigo na busca do crescimento profissional.”