#Notícias Unitoledo
 
 

Curso de extensão de Barista do Centro Universitário Toledo conquista público de diversas áreas

Por Gabriela Fagundes

Em sua quarta edição e com duas aulas já realizadas, o curso de extensão de Barista do Centro Universitário Toledo tem conquistado pessoas de todas as áreas. A administradora Janaína Vilas Boas Silverio decidiu participar do curso por ser apaixonada pelo ramo. “Amo café. Amo servir café para meus amigos que visitam minha casa. Quero aprender técnicas para surpreendê-los e quem sabe, futuramente, abrir minha cafeteira”, comenta.

Segundo Janaína, no primeiro dia do curso foi possível aprender sobre as sensações do paladar: doce, salgado, amargo, azedo e o umami. “São sensações que captamos através do glutamato experimentado na primeira amamentação. Essas sensações são reproduzidas ao longo da vida e, através do café, é possível ter acesso a essas memórias gustativas. Ele tem uma quantidade de ácido glutâmico que permite naturalmente essa sensação, esse toque profundo”, explica.

Reinaldo Bruno é atendente em um restaurante japonês e aprendiz de sommelier, e conta que se interessou pelo curso de Barista por envolver a área de degustação e harmonização.
O profissional ainda acrescenta que tem boas expectativas com relação ao curso. “Estou me relacionando com pessoas inteligentes e professores capacitados e interessados em nos transmitir o máximo do curso”, conclui.

PROGRAMA
O curso de 40 horas-aula teve início em 29 de setembro e será realizado em cinco sábados alternados. Entre os assuntos a ser abordados estão tipos de grãos de café, métodos de extração, torra e histórico das principais regiões cafeeiras do Brasil.

Os objetivos do curso são tornar os participantes aptos a preparar e servir cafés expressos, bebidas à base de café e leite vaporizado; selecionar granulometrias adequadas a cada equipamento de preparo; moer, dosar e compactar café; extrair café; operar a máquina para a vaporização do leite. Um certificado será entregue no final do curso para quem obtiver no mínimo 75% de frequência.

Edição: Rafaela Tavares

Notícias Relacionadas