#Notícias Unitoledo
 
 

Grupo de pesquisa de Arquitetura e Urbanismo diagnostica problemas ambientais do Ribeirão Baguaçu

Por Gabriela Fagundes

Integrantes do grupo de pesquisa GEAU (Grupo de Estudos Ambientais Urbanos), formado por acadêmicos do UniToledo, identificaram os principais problemas ambientais do Ribeirão Baguaçu, em Araçatuba. O diagnóstico foi elaborado após a 2ª Expedição Baguaçu, para a qual o grupo foi convidado e durante a qual percorreu o trecho urbano do curso d´água no município. O estudo deverá gerar planos de ação para melhora da qualidade ambiental local.

Participaram da ação as alunas de Arquitetura e Urbanismo Amanda Sousa Pires, Anna Silvia Ramos de Oliveira, Juliana do Nascimento Nunes Salvador e Jucielen Possebon, sob a supervisão do professor Márcio Fernando Gomes. A expedição foi realizada em 9 de junho deste ano. “O principal objetivo da expedição foi proporcionar uma ferramenta para quem cuida daquele espaço, no caso, a Prefeitura e a Samar (Soluções Ambientais de Araçatuba) [responsável pelo serviço de água e esgoto do município], para eles saberem o que está acontecendo”, explica Jucielen.

Os resultados do trabalho também já foram utilizados para elaboração de estudo disponibilizado para autoridades do município. No dia 31 de agosto, a aluna Jucielen Possebon, do 6º semestre de Arquitetura e Urbanismo, juntamente com o professor Márcio Fernando Gomes, representou o GEAU na apresentação do relatório da 2ª Expedição Baguaçu, realizada no auditório da Samar. A divulgação do diagnóstico contou com a participação de funcionários da instituição e de representantes da Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Araçatuba.

Os professores de Engenharia Agronômica Simas Ferreira Aragão e Daniel Carvalho Leite também estiveram presentes na apresentação do relatório.

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL
Segundo Gomes, o diagnóstico ambiental demonstrou que os principais problemas estão associados à ausência de mata ciliar em alguns setores das áreas de preservação permanente, à presença de processos erosivos, ao assoreamento do curso d’água, ao depósito de resíduos sólidos, ao vazamento de esgoto e a algumas edificações nas faixas marginais.

As instituições envolvidas na expedição deverão, nos próximos meses, desenvolver planos de ações para a melhora da qualidade ambiental do Ribeirão Baguaçu. “O GEAU destacou a necessidade de ações que visem à restauração ecológica das áreas de preservação permanente, a adequação do sistema de águas pluviais, o monitoramento e reparos contínuos na rede de esgoto, a fiscalização e o controle do depósito de resíduos sólidos e a intensificação de ações de educação ambiental”, ressalta o docente.

EXPEDIÇÃO BAGUAÇU
De acordo com o professor, a Expedição Baguaçu é uma ação da Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade, da Prefeitura Municipal de Araçatuba, organizada anualmente, que conta com a participação de órgãos públicos, instituições de ensino, organizações não governamentais e demais entidades da sociedade civil, com o objetivo de diagnosticar os principais problemas ambientais do Ribeirão Baguaçu.

Edição: Rafaela Tavares

Notícias Relacionadas