#Notícias Unitoledo
 
 

Grupo de pesquisa formado por acadêmicos do UniToledo analisa questões sobre Educação, Gênero e Feminismo

Mariana Páscua

Liderado pela professora Doutora em Educação Jamilly Nicácio Nicolete, o grupo de pesquisa “Gênero, Educação e Feminismos” já conta com conquistas e participações em eventos científicos, embora tenha sido criado há pouco tempo. As atividades têm participação dos alunos dos cursos de História, Pedagogia e Direito. Segundo a professora responsável, o grupo foi cadastrado no CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) no início de 2018 e se reúne semanalmente e apesar de recente.

“Em 2018, participamos de três eventos: um em Londrina (Gênero e Políticas Públicas), com três trabalhos aprovados; um evento científico na Fundação Educacional de Penápolis, com um trabalho aprovado e um evento sobre Direitos Humanos, com três publicações. Também tivemos dois trabalhos de Conclusão de Curso em 2018 que são fruto do que o grupo vem produzindo”.

Ainda conforme a professora, o foco dos estudos é o suporte teórico. “Juntos escolhemos autores e títulos que compreendem os temas que trabalhamos individual ou conjuntamente. O foco é o suporte teórico, para que possíveis publicações tenham como base estudos acadêmicos reconhecidos nacional e internacionalmente” afirma a professora.

IMPORTÂNCIA
Ela defende a importância da discussão e aprofundamento dos temas abordados pelos grupos aos acadêmicos da área da educação. “Gênero, Educação e Feminismos são temas atualíssimos. É fundamental que a gente construa espaços de diálogo, a universidade, sem dúvidas, é um desses espaços. Não me imagino como responsável pela formação de um educador que não pense a igualdade de gênero como fundamental para sua atuação profissional. Para o Direito, essa também é uma premissa fundamental”.

Além disso, Nicácio ressalta o valor da participação em um grupo de pesquisa para a vida acadêmica do estudante universitário. “O grupo estimula a leitura e encoraja à participação em eventos e publicações. Esse é o caminho para um futuro mestrado, por exemplo. Além disso, o grupo trabalha a ideia de coletividade e insere os alunos em outros espaços de produção de conhecimento”.

PESQUISA
Para a aluna do terceiro semestre do curso de história, Camila Marques Trevizan, Além de acrescentar ao currículo, a participação permite se familiarizar com a pesquisa científica, colaborando para um possível mestrado e doutorado no futuro. “A participação em grupo de estudos é importante para ampliar os conhecimentos em sua área de interesse, colabora também, como experiência de vida na qual partilhamos não só conteúdos teóricos, mas momentos de nossas vidas e isso nos torna parte de algo muito importante dentro da universidade, torna o tempo que passamos dentro da faculdade mais interessante. Trabalhando os temas que são de urgência para a sociedade, produzindo conteúdos, para a ajudar o próximo, pois é isso que a pesquisa é, deixar conteúdo de alta relevância registrado para que o próximo possa utilizar” comenta a aluna.

O grupo é aberto, os interessados em participar dos debates e pesquisas deverão enviar um e-mail para: jamilly.nicolete@toledo.br. Para os que desejam iniciar na pesquisa cientifica da área, Nicácio orienta a valorização das referências. “Em tempos líquidos, é importante respeitar a ciência de cada área. É fundamental que saibamos valorizar o tempo, a pesquisa e o aprofundamento de quem vive a pesquisa científica. Conhecimento científico não se faz com achismos ou fake news, ele é fruto de muita análise, de muito método, de muita luta por representação” finaliza.

Notícias Relacionadas