#Notícias Unitoledo
 
 

Grupo de pesquisa “Patrimônio e Memória Coletiva” tem projetos aprovados em congresso em Barcelona

Mariana Páscua

O grupo multidisciplinar de pesquisa Patrimônio e Memória Coletiva do UniToledo tem dois projetos aprovados em Congresso Internacional em Barcelona, na Espanha. O evento será realizado em junho de 2019. Liderado pelos professores Angela Inês Liberatti e Helerson de Almeida Balderramas, o grupo conta com a participação dos cursos de História, Gastronomia, Arquitetura, Direito e Pedagogia e tem diferentes linhas de pesquisa (saiba mais).

Os dois projetos aprovados em congresso internacional são  “O cupim casqueirado como patrimônio Imaterial em Araçatuba” e “A expansão cafeeira e sua herança patrimonial material e imaterial”. O professor e coordenador de gastronomia, Helerson de Almeida Balderramas destaca que ter um projeto aprovado em um congresso internacional é uma conquista.

IMPORTÂNCIA
Segundo ele, um curso de ensino superior não se restringe ao ensino, pois a pesquisa e a extensão universitária são de igual importância. “Ter um projeto aprovado em um evento internacional significa que, além das atividades de ensino, estamos comprometidos com a pesquisa cujo avanço certamente corrobora com o ensino tecnológico, inovador, e de qualidade”.De acordo com Balderramas, o projeto “O cupim casqueirado como patrimônio Imaterial em Araçatuba” tem como objetivo recuperar e registrar, por métodos teóricos e práticos, como o prato típico tornou-se um legado da cidade.

O professor esclarece que o objetivo é recuperar e registrar como o cupim casqueirado emergiu como um patrimônio, inclusive já tombado como patrimônio imaterial pelo governo municipal. Para ele, trata-se de algo que identifica a cidade, marca a sua gastronomia e dinamiza o turismo e a economia local. “Além do levantamento teórico da transformação da cidade em capital do boi gordo, realizaremos também um registro técnico das práticas de maturação da peça, a cura e defumação do cupim, para uma releitura da comida emblemática. Com propósito de ampliação da produção gastronômica. Já a pesquisa de campo nos mostrará a memória e identidade da população local, que justifica a elevação do modo de fazer como patrimônio imaterial gastronômico”.

PREPARAÇÃO
Para a professora Angela Inês Liberatti, a participação em um grupo de pesquisa além de auxiliar no desempenho acadêmico, por dialogar com as disciplinas ministradas, é a preparação necessária para o exercício da profissão. “Fazer um curso universitário significa não só adquirir conhecimentos teóricos e práticos. Para o exercício profissional, o aluno precisa adquirir habilidades e competências para saber buscar constantemente novos conhecimentos e ter autonomia intelectual para se manter atualizado. A pesquisa acadêmica e a participação em Congressos são a melhor forma de capacitar o aluno para a leitura e interpretação de textos teóricos, e ainda desenvolver a escrita correta, e a capacidade de expor ideias e participar de debates de forma adequada” afirma.

Para os acadêmicos com interesse de ampliar o conhecimento e ingressar nas pesquisas científicas Liberatti deixa a orientação: “Recomendo que os alunos pensem, dentre as disciplinas já cursadas o tema ou assunto que mais lhes interessa e então, procurem um professor que os oriente. É importante participar das reuniões com os professores orientadores e ler sobre o assunto, para perceber a sua utilidade e interesse” finaliza.