#Notícias Unitoledo
 
 

Plataformas da Biblioteca Digital do UniToledo reúnem mais de 14 mil títulos

Por Rafaela Tavares

A comunidade acadêmica do Centro Universitário Toledo carrega agora um acervo com mais de 14 mil livros na palma da mão. Com alguns cliques, seus integrantes conseguem ler obras didáticas na íntegra em telas de celular, tablets e computadores. A instituição adotou duas plataformas diferentes de biblioteca digital: a Minha Biblioteca e a Biblioteca Virtual Pearson. Os alunos podem utilizá-las por meio do Portal Educacional UniToledo, o mesmo espaço virtual em que verificam notas e acompanham a própria média de presenças e faltas. Basta entrar na aba “Serviços” e em seguida clicar no nome da plataforma de biblioteca que irá visitar.

Conforme a bibliotecária da instituição, Isabela Pereira Rego, a Biblioteca Digital entrou em funcionamento no segundo semestre. Em um primeiro momento, os estudantes do curso de Direito tiveram acesso à ferramenta, como teste. Posteriormente, o acesso a uma ou outra plataforma foi estendido a alunos de outras graduações.

ÁREAS
Há livros virtuais de todos os assuntos, como Administração, Redação, Direito, Literatura, Filosofia, Matemática, Neurologia, Anatomia, entre outros. A plataforma Minha Biblioteca reúne mais de 8 mil títulos. Ela é junção do acervo de quatro editoras – Grupo A, Gen Atlas, Manole e Saraiva. Já a Biblioteca Virtual da Pearson é composta por mais de 6 mil títulos, de 20 editoras parceiras, também incluindo obras de diferentes áreas do conhecimento.

O acesso a cada uma delas varia conforme o curso do estudante – o aluno pode ter acesso à Minha Biblioteca ou à Biblioteca Virtual da Pearson dependendo de sua graduação. Segundo a pró-reitora acadêmica, Silvia Cristina de Souza, a escolha de qual sistema seria utilizada por cada curso foi feita pelos coordenadores. “A coordenação avaliou todas as bibliotecas digitais que existem e verificou qual delas atenderia a demanda do curso em termos de títulos e disponibilidade”, ela explica.

Apenas dois cursos não utilizarão as obras digitais: Arquitetura e Urbanismo e Agronomia não encontraram nenhuma biblioteca virtual que atendesse às próprias necessidades. “Entretanto, os dois têm o acervo físico na biblioteca”, destaca a pró-reitora.

De acordo com Silvia, as plataformas digitais trazem vantagens como a possibilidade de acesso ao acervo em qualquer lugar ou horário, sem necessidade de fazer reserva, empréstimo e disputar as obras com outros estudantes. Outro benefício trazido pela inovação é a atualização das bibliografias que a aquisição permitiu, já que as edições dos livros disponíveis nas bibliotecas digitais são as mais recentes.

Nas bibliotecas digitais, o usuário pode pesquisar obras por título, autor ou assunto. Ele faz a leitura na plataforma, com a possibilidade de aproximar o texto, fazer anotações e marcações digitais. Uma vez que o leitor está com o livro aberto, ele tem ainda a possibilidade de fazer uma pesquisa por palavras no conteúdo da obra e encontrar um trecho específico.

PESQUISA

A pró-reitora acredita que a disponibilidade dos acervos digitais iria ajudar a fomentar a produção científica do UniToledo. “Para além da biblioteca indicada, o aluno tem acesso a todo o acervo que existe ali, ainda que não seja da área específica dele, o que colabora para que ele possa fazer pesquisas das mais variadas possíveis, escrever seus projetos e trabalhos de conclusão de curso.”

Por sua vez, Isabela explica que o estudante poderá citar as obras encontradas nessas bibliotecas digitais em trabalhos acadêmicos, contanto que especifique na referência que o leu por meio de uma consulta on-line. “É uma ferramenta que agrega conhecimento ao aluno. Se ele preferir ler livros físicos, em papel, nosso acervo continua totalmente disponível pra consulta e empréstimo. Mas a virtual traz mobilidade. O estudante pode acessar o livro em qualquer lugar e em qualquer horário”, afirma a bibliotecária.

Ela explica que a instituição disponibiliza tablets e notebooks para estudantes que queiram acessar a biblioteca virtual. De acordo com Isabela, a equipe da biblioteca está disponível para esclarecer dúvidas de quem deseja utilizar as plataformas.

A pró-reitora acadêmica, Silvia Cristina de Souza, lembra que paralelamente ao investimento em uma ferramenta digital, o UniToledo reestruturam a biblioteca física. Os dois modos de leitura – em papel ou tela – serão possibilidades para os discentes. “Há um investimento muito grande da instituição em bibliotecas físicas ou digitais para que o aluno possa cada vez mais ter acesso a informação de qualidade para produzir, construir conhecimento, ter acesso a educação e cultura de um modo geral”, esclarece Silvia.

Notícias Relacionadas