#Notícias Unitoledo
 
 

Você no mercado: O coordenador de Engenharia Mecânica, Lucas Scarpin explica quais as possibilidades para o profissional da área

Rafaela Tavares

O engenheiro mecânico é um profissional de formação geral que pode atuar desde na concepção do projeto, seleção dos materiais, fabricação, execução, instalação, operação e manutenção de sistemas mecânicos, térmicos, até com máquinas e equipamentos.

Uma vez formado, o profissional pode se especializar em diversas áreas: automobilística, aeronáutica, aeroespacial, naval, metalúrgica, industrial, petróleo, gás e mineração, como destaca o coordenador da graduação de Engenharia Mecânica no UniToledo, Lucas Mendes Scarpin.

Ele explica que desde na criação de uma simples engrenagem até foguetes espaciais, passando por diversos outros segmentos da indústria, a profissão de engenheiro mecânico é essencial para o desenvolvimento econômico do país. Confira a entrevista:

MERCADO
No mercado regional, diversas empresas passaram por transformações em virtude da recessão econômica enfrentada pelo país, o que demandou a contratação de profissionais especializados mesmo em tempos de crise, absorvendo nossos alunos e egressos do curso. Como a formação é generalista, o profissional é contratado por diversos ramos, sendo os mais comuns em nossa região: sucroalcooleiro, papel, celulose, metalúrgico, caldeiraria, eletrodomésticos, alimentício e montagem industrial.

TECNOLOGIAS
Os segmentos relacionados ao desenvolvimento e à aplicação de novas tecnologias apresentam maior potencial de crescimento, como os que trabalham com materiais compósitos, manufatura aditiva, prototipagem rápida, automação e robótica.

EVOLUÇÃO
A Engenharia Mecânica está em constante evolução, gerando soluções para a sociedade por meio do desenvolvimento de novas tecnologias, como veículos híbridos, parques eólicos e robôs. Vale destacar que a indústria 4.0 é responsável pelo desenvolvimento tecnológico de diversos segmentos, promovendo transformações organizacionais e culturais nas empresas.

ATUAÇÃO
Muitos alunos recém-formados são contratados como analistas para adquirirem experiência na área e, então, tornam-se engenheiros júnior. Alguns alunos formados há alguns anos já atuam em cargos de gerência de grandes empresas, como gestores e superintendentes de unidades, o que reflete a qualidade do curso de Engenharia Mecânica do UniToledo.

DEDICAÇÃO
O aluno deve se dedicar aos estudos, lembrando sempre que as disciplinas cursadas, as aulas práticas e os projetos desenvolvidos ao longo dos semestres são fundamentais para a construção de competências e habilidades requisitadas pela profissão, as quais estão ligadas diretamente ao seu sucesso. Estágios profissionalizantes, projetos de iniciação científica, projetos e cursos de extensão são exemplos de atividades extracurriculares que enriquecem o currículo do aluno, diferenciando-o dos demais profissionais.

PERFIL
O engenheiro mecânico deve ser competente do ponto de vista técnico, proativo, inovador e comunicativo, além de apresentar uma boa relação interpessoal e se atualizar constantemente.

ESPECIALIZAÇÃO
Uma vez graduado, o engenheiro mecânico deve buscar formas de se especializar tanto em sua área de atuação quanto em outras, visando seu crescimento profissional e pessoal. A atualização garante o aprimoramento de suas habilidades e amplia as oportunidades no mercado de trabalho que está cada vez mais competitivo. A formação continuada pode ser através de cursos técnicos ou por meio de programas de pós-graduação.

ESTÁGIO
É de suma importância iniciar o estágio na área antes do último ano. O estágio profissionalizante faz com que o aluno amadureça, no sentido de adquirir diversas responsabilidades e transpor desafios, tornando um diferencial para sua formação. Além disso, o estágio cria uma ponte entre os conteúdos trabalhados em sala de aula com a prática na indústria. A maioria dos alunos do curso que iniciaram o estágio profissionalizante foram efetivados nas empresas mesmo antes de se graduarem.

PREPARAÇÃO
A IES (Instituto de Ensino Superior) faz parte do CDIO, que se trata de uma iniciativa de colaboração internacional para a evolução do processo ensino-aprendizagem das engenharias, visando a utilização de metodologias inovadoras que preparam o aluno para as necessidades do mercado atual. No decorrer dos semestres, os alunos desenvolvem projetos integradores que correlacionam os assuntos trabalhados nas disciplinas e, em alguns casos, outros cursos da instituição. Além disso, o curso desenvolve projetos de extensão, como o Baja SAE e o carro elétrico, e possui parcerias com a Romapar e o Speedpark, trazendo conhecimentos e inovações aos nossos alunos.