#Notícias Unitoledo
 
 

Você no Mercado: A coordenadora de História no UniToledo, Ângela Liberatti, explica o que faz quem se forma na área

Rafaela Tavares

Se você gosta de estudar o passado para compreender a condição humana, de investigar não só os grandes conhecimentos como também o cotidiano, a cultura, a economia e as ideias das sociedades ao longo das décadas e séculos, é possível que já tenha pensado em estudar História. Mas o que faz quem se gradua na área?

A licenciatura em História, graduação disponível entre os cursos do Centro Universitário Toledo, possibilita a docência em rede pública ou particular, desde o ensino fundamental ao médio. Porém, a coordenadora do curso, Ângela Inês Liberatti, esclarece que o leque de atuação de quem se forma na área também inclui desenvolver projetos e pesquisas para diferentes empresas e instituições.

Segundo ela, a licenciatura possibilita que o egresso dê aulas, mas não se limita a isso. “Ela habilita a dar aulas. O bacharelado, por exemplo, não habilita. A licenciatura tem essa vantagem, mas não significa que a gente forma só professores.” Ângela explica que o curso tem foco na pesquisa, uma vez que ter essa habilidade é uma das características do historiador. Confira a entrevista com a coordenadora:

DEMANDAS
“Temos várias possibilidades para quem se forma em História: trabalhar em empresas, trabalhar com arquivos, trabalhar em museus, trabalhar em atividades culturais, trabalhar em projetos. Há vários segmentos, inclusive na parte de redigir materiais [para livros, material didático, cursos]. Já para quem deseja seguir a docência, na região há muita necessidade por professores de História, tanto é que a maior parte dos alunos concluindo o segundo curso já está inscrita para poder dar aula e o praticamente 100% do pessoal do terceiro ano dá aula. A área tem uma empregabilidade boa.”

MATERIAL 
“Um nicho é a produção de conteúdo para cursos EAD. Quando se tem a abertura de cursos on-line, há uma necessidade de uma pessoa que produza os conteúdos. A inovação tecnológica ajuda o historiador, que é uma pessoa com facilidade para pesquisar e escrever sobre o assunto pesquisado. O mercado irá procurar pessoas capacitadas para a parte tecnológica da implantação desses cursos, mas também precisará de outras para a produção de material.”

PERFIL
“No curso, nós temos um aluno que gosta de ler e isso é importantíssimo para a área de História. A grande dificuldade no ensino universitário é convencer os alunos que a universidade é um lugar para se aprender teoria. O historiador é uma pessoa que já deve vir com esse perfil, pesquisar por conta própria. A gente dá a ele o método para fazer isso de forma mais eficiente. A história é dinâmica e o profissional ou acadêmico não pode ficar desatualizado. Esse é o perfil.”

INGRESSO
“Na rede pública, inicialmente se começa como professor substituto e depois se aguarda os concursos. Já faz algum tempo que houve um concurso, provavelmente logo teremos um novo. A gente tem um alto índice de aprovação. Já a contratação em escolas privadas é feita por testes. O candidato vai lá, dá uma aula. Na graduação, ele tem acesso a uma bibliografia que permite que quando ele saia, construa o conhecimento para desempenhar bem essa função.”

EDUCAÇÃO CONTINUADA
“Educação continuada é necessária para dar aula no ensino superior. A gente tem vários alunos na pós e outros fazendo mestrado. Há alunos que vão direto da graduação para o mestrado, saem já com os projetos encaminhados, são orientados pelos professores.”

PREPARO
“Quando se fala que o professor tem que ser pesquisador, tem que estar sempre se formando, o historiador tem facilidade nisso. Uma das habilidades desenvolvidas no curso é a pesquisa. As aulas são construídas para ajudar o aluno o estudante a aprender a desenvolver um conteúdo e a forma esse conteúdo como deve ser passado para os alunos, conforme a idade, e elas são construídas para que o aluno esteja apto para pesquisar sobre o assunto que ele vai passar, porque é um aluno que tem essa capacidade de fazer pesquisas.”

VISIBILIDADE
“Nós fazemos projetos em parceria com a diretoria de ensino para que esse aluno se torne conhecido nas escolas. Temos, por exemplo, o Projeto Enem, o Projeto África na Sala de Aula. Os alunos têm um nível de formação muito bom e torna-los conhecidos facilita sua inserção no mercado depois. Como a licenciatura em História do UniToledo é um curso com muita tradição, somos também procurados pela rede privada para indicarmos alunos. Mantemos ainda muito contato com os ex-alunos, que já está no mercado, e incentivamos a integração entre eles e os atuais graduandos.”

VISÃO AMPLIADA
“A História ajuda a construir uma visão ampliada, uma percepção diferente de espaço-tempo. Mesmo para quem depois queira fazer outro curso, ou já tenha feito, a História ajuda a complementar qualquer profissão.”

Notícias Relacionadas